Cinco Pontos Importantes para Empreender na Advocacia

Tempo de leitura: 3 minutos

É sabido que o mercado brasileiro ano após ano é invadido por um número enorme de profissionais recém-formados em Direito.

Muitos bacharéis e muitos advogados ávidos por ter um lugar ao sol, além dos concursos públicos, a advocacia é alvo de investimento recorrente e não são poucos que estão abandonando a atuação tradicional em escritórios denominados generalistas para investir em uma carreira que vise um nicho mais específico.

Leia também:

Nesse sentido, o advogado empreendedor, para aventurar-se é necessário um esforço de aquisição de instrumentos pessoais e materiais que viabilizem essa empreitada.

Mas quais seriam esses instrumentos?

Abaixo listamos 5 pontos que devem ser observados para dar o start ao seu projeto:

  1. Além de investir na sua formação profissional, especializando-se na área de seu interesse, mantendo-se atualizado e dominando o quanto possível a matéria, é fundamental que também adquira conhecimentos sobre o mercado em que se pretende atuar, como pesquisar quais as necessidades de seu público alvo, quais as subáreas dentro da sua área de atuação que se encontram saturadas e quais aquelas que são lacunosas e podem ter um maior espaço para investir. Ou seja, além de estar preparado profissionalmente, você deverá estudar o mercado em que será direcionada a sua missão de empreender.
  2. Um empreendimento significa ter um negócio e é fundamental que se adquira uma visão financeira e administrativa de todo o processo, desde o projeto de sua constituição até a materialização de sua empreitada. Ter pleno conhecimento de quanto se deve investir a curto, médio e longo prazo, qual o tipo de trabalho será ofertado, os custos, capital de giro, recurso humano, se necessário etc. Ou seja, tudo o que diz respeito à constituição de um empreendimento.
  3. Estar atento às inovações tecnológicas que possibilitem facilitar o cotidiano do seu escritório não só na prática jurídica, como administração dos processos, prazos, custas, mas também questões fiscais como planilhas de gastos e ganhos, emissão de notas entre outros. Sendo para tanto, imprescindível a aquisição de um software jurídico fornecendo sistemas informacionais e operacionais capazes de otimizar o trabalho do advogado e criando uma padronização dos procedimentos, propiciando eficiência e qualidade no trato com os clientes. Devendo, portanto, a tecnologia ser um instrumento em seu favor. 
  4. Ponto fundamental para o sucesso de seu empreendimento é a realização do seu marketing profissional. Para tanto, é necessário estar atento às limitações legais impostas pelo Código de Ética e Disciplina da OAB. Definida a sua área de atuação e ciente do público alvo a ser atingido, você poderá atuar no sentido de publicar e produzir conteúdo de qualidade, utilizando também as plataformas digitais e redes sociais e conhecendo quais as ferramentas disponíveis para esse fim. O marketing jurídico digital é uma forma fácil de divulgação, lucrativa e competitiva, sendo um meio importante para captação de clientes, tornando o seu trabalho não só conhecido entre seus pares, mas também para a sociedade. 
  5. Após a definição de seu público alvo, é necessário fazer a prospecção e comunicação com clientes embasada também em todos os recursos virtuais disponíveis e lícitos, tratando o cliente com personalismo, atendendo suas demandas de forma exclusiva, oferecendo além de liberdade, praticidade e segurança, com confiabilidade e sigilo profissional.
Para saber mais sobre Empreendedorismo na Advocacia, conheça nossos Cursos para Advogados!

Gostou? Deixe o seu Comentário...